Oferta!

Estanozolol – King Pharma (50mg/ml – 30ml)

Original price was: R$ 250,00.Current price is: R$ 229,90.

Descrição

Stanozolol é o segundo esteróide androgênico anabólico (SAA) mais popular no mundo depois do dianabo. Localmente, é conhecido pelos nomes Winstrol , Estanozolol ou “Winny”.  É um dos esteroides mais antigos, pois sua produção em massa iniciou-se em 1962, 4 anos após sua síntese. Este evento ocorreu na Grã-Bretanha, e a droga foi assinada com o agora lendário nome Winstrol. Até hoje, é usado em terapia humana e animal. Durante anos, tem sido usado para tratar distúrbios de coagulação, anemia, perda de massa óssea e muscular, mas também edema vascular. Esse composto, no entanto, tem sido substituído por medicamentos mais específicos e com menos efeitos colaterais.

O estanozolol é um derivado da testosterona, especificamente seu metabólito muito mais metabolicamente ativo, que é a dihidrotestosterona (DHT). Várias mudanças foram feitas na estrutura desse hormônio; ou seja, a adição de um grupo metil ao composto na 17ª posição do carbono (metilação) e a colocação do anel pirazol no lugar do grupo 3-ceto.

A medida é extremamente universal, o que a torna popular em diversos esportes, desde o futebol americano, passando pelas artes marciais, até o físico e a força. [1]

ATIVIDADE BIOLÓGICA

O principal mecanismo de ação do estanozolol é sua capacidade de se acoplar ao receptor androgênico, encontrado na maioria dos tecidos do corpo. Também foi comprovado que o agente também é capaz de se acoplar ao receptor de corticosteróides, progesterona e, o que é muito importante nos esportes corporais, estrogênios. O composto, após a remoção do grupo metil no fígado, torna-se biologicamente ativo, exigindo dele alta atividade enzimática.

Stanozolol tem muito pouca afinidade por globulinas de ligação de hormônios esteróides. Não é um substrato para a enzima aromatase ou para a 5-alfa-redutase, portanto não afeta diretamente o nível de estrogênios e di-hidrotestosterona, enquanto como derivado desse hormônio, pode reduzir ligeiramente os níveis de progesterona.

Devido à ampla dispersão do receptor androgênico, mas também de outros receptores com os quais o estanozolol tem afinidade, o agente em sua forma ativa afeta a pele, articulações, ossos, músculos e sistema nervoso. [2-6,12]

EFEITOS DA AÇÃO

Sua popularidade como droga para melhorar o desempenho não surgiu do nada; tem um amplo espectro de propriedades úteis na maioria dos esportes.

MELHORA SIGNIFICATIVA NA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO

A razão pela qual os atletas buscam um espectro tão amplo de estanozolol é causada por seu uso, um rápido aumento na capacidade de gerar força, sem ganhar peso. Este efeito é o resultado da atividade do composto dentro do tecido muscular e para as células do sistema nervoso. O estanozolol permite um trabalho significativamente mais eficiente desses tecidos, ao mesmo tempo em que acelera significativamente sua regeneração após um fator estressante, que é o treinamento intenso.

DIMINUIÇÃO DA ATIVIDADE DO ESTROGÊNIO

DHT, para simplificar, é considerado um antagonista de estrogênio específico. Esses hormônios não afetam diretamente seu nível, no entanto, o DHT é capaz de reduzir a atividade dos estrogênios nos tecidos. Esse fato resulta da capacidade do andrógeno de se acoplar ao receptor de estrogênio, mostrando uma afinidade mais forte com ele do que os próprios estrogênios. O que isso significa na prática? O estanozolol, sendo um derivado do DHT, é capaz de reduzir o efeito dos estrogênios sem afetar sua quantidade. Portanto, reduz a retenção de água induzida pelo estrogênio, o que também melhora a qualidade da figura, dando-lhe uma aparência seca e crua. [4]

APOIO À REGENERAÇÃO ARTICULAR

Interessante e um tanto surpreendente para alguns pode ser o efeito positivo do estanozolol no tecido conjuntivo e no osso. Acontece que o estanozolol é capaz de aumentar a síntese de colágeno, bem como promover a formação de novos osteócitos. Em doses terapêuticas, esse agente pode contribuir para uma recuperação acelerada após lesões do sistema musculoesquelético. [3,12,16-19]

PROPRIEDADES ANTICATABÓLICAS

O agente, mostrando afinidade pelos receptores de glicocorticosteróides, bem como a ativação do receptor de andrógeno, o estanozolol é capaz de limitar as reações catabólicas no corpo. Reduz a quebra de proteínas ao limitar a ação do cortisol, ocupando parcialmente seus receptores. Assim, o agente pode reduzir a degradação do tecido muscular na condição de aumento de estressores, por exemplo, déficit de energia, aumento da frequência de treinamento ou estresse amplamente compreendido. [1,2,3,5]

REDUZINDO O NÍVEL DE SHBG

Por fim, aumenta o potencial de outros SAAs ao reduzir de forma extremamente eficaz a Globulina de Ligação de Hormônios Sexuais (SHBG). Essas globulinas prendem os hormônios que circulam na corrente sanguínea de forma livre, privando-os temporariamente da capacidade de se acoplar aos receptores e, assim, exercer uma influência no corpo. O estanozolol, um andrógeno, é capaz de reduzir efetivamente o SHBG, resultando em uma quantidade aumentada de hormônios esteróides livres (não ligados à globulina). Assim, pode aumentar o efeito, por exemplo, da testosterona. O estanozolol oral é considerado particularmente eficaz nesse contexto, mas a versão injetável também apresenta esse efeito. [6]

POSSÍVEIS EFEITOS COLATERAIS

Na maioria dos casos, AAS, quanto mais benefícios um composto traz, maiores são os efeitos colaterais que ele pode causar. Isso não é diferente com o estanozolol.

DISLIPIDEMIA GRAVE

O uso de estanozolol, independentemente da duração do ciclo, está sempre associado a distúrbios do metabolismo lipídico do organismo. Isso se deve principalmente à sua natureza androgênica, mas também ao acúmulo no fígado durante a primeira passagem, quando o órgão separa o grupo metil do composto. Como resultado, o composto reduz significativamente o nível de lipoproteínas HDL em pouco tempo, enquanto aumenta a concentração da fração LDL e colesterol total. [4,7,9,10,13,14]

DISTÚRBIOS CARDIOVASCULARES

O estanozolol pode levar à intensificação dos processos hematopoiéticos, causando hiperemia, ou seja, superprodução de hemoglobina e glóbulos vermelhos. O resultado da hiperemia e dos distúrbios do perfil lipídico descritos acima, a longo prazo, é o desenvolvimento de numerosas doenças do sistema cardiovascular, como hipertensão, aterosclerose, doença isquêmica do coração. Portanto, o agente, sem profilaxia adequada, pode contribuir para a ocorrência de acidente vascular cerebral, infarto ou outros incidentes vasculares. Além disso, o estanozolol, como qualquer esteróide anabólico androgênico, pode aumentar o efeito da hipertrofia ventricular esquerda em pessoas que praticam esportes há muitos anos. [14]

EFEITOS ANDROGÊNICOS

O estanozolol, por ser um agente com considerável potencial androgênico, também causa efeitos colaterais característicos desse tipo de agente. Devido à sensibilidade dos receptores de andrógenos, as mulheres serão um grupo de risco particular. Já em baixas doses de estanozolol, podem ser observados sintomas emergentes de virilização; novos pêlos corporais, diminuindo o tom da voz ou pele oleosa e acne. O abuso prolongado de estanozolol pode resultar em hipertrofia do clitóris e alterações nas características faciais para masculinas.

Já entre os homens, a lista de efeitos colaterais inclui queda de cabelo, pele oleosa, acne e aumento da agressividade. A longo prazo, pode agravar o aumento da próstata.

É importante ressaltar que esse efeito não se deve à atividade da 5-alfa-redutase, mas sim à estrutura do agente. Assim, neutralizar esses efeitos colaterais é praticamente impossível. [1,3,20]

HEPATOTOXICIDADE MODERADA

Como agente metilado, o estanozolol sobrecarrega significativamente o sistema digestivo, especialmente o fígado e os ductos biliares. O fígado é responsável por separar o grupo metil do composto, graças ao qual a maior concentração da substância é encontrada neste órgão. Este fato também é confirmado por parâmetros bioquímicos durante o uso; como padrão, é um nível significativamente elevado de ALT, ASP, bilirrubina, lipase e GGTP. O acúmulo do agente no fígado traz sérios danos ao órgão. Há também náuseas, diarréia e vômitos. [4,7,9,10,13]

DISTÚRBIOS DA HOMEOSTASE HORMONAL

Tomar estanozolol causa distúrbios hormonais, levando, mais cedo ou mais tarde, ao bloqueio da secreção de testosterona. O resultado disso pode ser disfunção erétil, alterações de humor, diminuição da libido, enfraquecimento da concentração e uma diminuição significativa no nível de eficiência física. Este efeito pode diminuir espontaneamente com o tempo, mas uma terapia apropriada é fortemente recomendada. [1-4,11,20]

DOR NAS ARTICULAÇÕES

O agente, devido à forte afinidade pelo receptor de estrogênio, limita a atividade dos estrogênios também nos tecidos articulares. Os estrogênios, sendo um elemento extremamente importante na síntese do colágeno, mas também um ligante que ativa inúmeros mecanismos no tecido ósseo, garantem o bom funcionamento das articulações. O estanozolol, vencendo a competição pelo receptor de estrogênio, interfere no bom funcionamento do hormônio, o que pode causar dores nas articulações.

COM O QUE COMBINAR?

O estanozolol, devido ao amplo espectro de atividades oferecidas, se encaixa bem em muitos cenários de ciclo.

No caso de construção de massa muscular seca, é uma boa combinação com testosterona, boldenona, nandrolonas, YK-11 , GHRP e peptídeos da família GHRH e insulina.

Ao aumentar a força, é mais frequentemente combinado com testosterona, nandrolona e mk-677 . Jogadores avançados combinam estanozolol com oximetolona pouco antes do início.

Durante a redução, o estanozolol é mais frequentemente combinado com trembolona, ​​efedrina, ioimbina, GW-501516 , SR-9009 , fragmento rHGH 176-191, com uma pequena base de testosterona.

DOSAGEM

A eficácia do agente, independentemente da forma, é considerada semelhante; isso significa que análogos de stanozolol semelhantes são usados ​​para as versões oral e injetável. A maioria das pesquisas científicas baseia-se na administração desse composto na forma oral, que se caracteriza por uma meia-vida mais curta, o que também o torna mais agressivo.

No caso do estanozolol oral, o ideal é usar 3 doses ao dia, aproximadamente a cada 8 horas.

A versão injetável deve ser usada pelo menos em dias alternados e, idealmente, todos os dias.

Para fins terapêuticos, o estanozolol oral tem sido utilizado em doses de 4-6mg ao dia, divididas em 2-3 doses iguais. A fim de melhorar o desempenho físico e a estética corporal, essa dosagem pode funcionar bem para mulheres que, no entanto, são aconselhadas a evitar esse agente.

Para os homens, as doses padrão variam de 15 a até 100 mg, dependendo da finalidade e do período de ingestão.

Durante o período de construção de força ou massa muscular, o agente é geralmente administrado em doses de 15 a 50 mg de estanozolol por dia.

Durante a redução de peso / preparação para competições de musculação, são utilizadas doses de 30-100mg de estanozolol por dia.

Para apoiar a regeneração dos tecidos articulares, uma dose máxima de 10 mg é considerada suficiente.

Esta medida não deve ser usada por muito tempo sem interrupção; reconhece-se que o risco de efeitos colaterais do fígado ou lipídios não atinge uma escala drástica ao tomar o agente por até 8 semanas. Independentemente da dose e duração do uso, é mais razoável realizar testes bioquímicos para monitorar a condição dos órgãos.

CONSELHO DE PROFISSIONAL

O agente, por ser 17-alfa-alquilado, permanece hepatotóxico, pelo que se recomenda a sua utilização pelo menor tempo possível; normalmente até 8 semanas. Neste momento, você deve cuidar da profilaxia hepática, portanto, seria uma boa ideia tomar N-Acetil-L-Cisteína, Bitartarato de Colina e aumentar a oferta de água. Ao usar altas doses ou ciclos prolongados, vale a pena considerar tomar agentes mais fortes, como Heparegen ou suplementar com TUDCA ou Liv52.

Este agente perturba fortemente o metabolismo lipídico; estudos mostram que mesmo uma dose de 6mg usada por um período de tempo mais longo causa mudanças drásticas e desfavoráveis ​​no nível de lipoproteínas HDL e LDL. Portanto, sugere-se limitar a oferta de gorduras saturadas e aumentar a oferta de ácidos graxos poliinsaturados. Além disso, como elemento de prevenção, o GW-501516 funcionará particularmente bem, a suplementação com uma grande quantidade de ômega-3, extrato de Citrus Bergamotti também pode ser útil.

Stanozolol se encaixa perfeitamente com a maioria dos compostos SAA e SARM , no entanto, devido ao mencionado acima hepatotoxicidade, deve-se ter cuidado ao usar outros compostos orais ou alquilados em paralelo. Existem alguns relatos de casos médicos em que fisiculturistas desenvolveram disfunção hepática grave como resultado do uso de estanozolol em paralelo com metadienona (popular Dianabol/Dianabol) e outros agentes hepatotóxicos por um longo período. Vale acrescentar aqui que o uso de estanozolol injetável não reduz o risco de sobrecarga e, consequentemente, danos hepáticos.

O agente, como representante do SAA, bloqueia o eixo HPTA. Portanto, após seu uso, deve-se realizar um protocolo de PCT (Post Cycle Therapy) em escala real, ou seja, desbloquear Essa terapia deve, portanto, incluir gonadotrofina coriônica (hCG), possíveis inibidores da aromatase e preparações de SERM (modulador seletivo do receptor de estrogênio), como clomifeno e citrato de tamoxifeno.

Um método interessante e raramente praticado é tomar estanozolol como parte da suplementação pré-treino. Não é absolutamente a maneira ideal de consumir este agente, mas pode ser usado no caso de pessoas que estão em profunda redução, que por vários motivos desejam usar as doses mais baixas possíveis do esteróide. Isso permite melhorar a qualidade do treinamento, especialmente quando se trata de parâmetros estritamente de força.

Deve-se ter cuidado se uma mulher decidir tomar este medicamento. Na maioria das vezes, as cordas vocais são as primeiras a reagir, portanto, ao notar rouquidão, o medicamento deve ser interrompido imediatamente.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

 

BenefíciosDesvantagens
✔️ Aumenta a qualidade dos músculos❌ Reduz a produção de testosterona
✔️ Aumenta significativamente a capacidade de exercício❌ Hepatoxicidade moderada
✔️ Não causa retenção hídrica❌ Pode causar queda de cabelo, acne, aumento da agressividade
✔️ Apoia a regeneração do tecido conjuntivo e ósseo❌ Extremamente perturba fortemente o lipidograma
✔️ Apoia a regeneração do sistema nervoso Aumenta a frequência da contração muscular
✔️ Fortemente anticatabólico Pode enfraquecer o apetite ao longo do tempo

Bibliografia

  1. Clinton R.O. et al. J. Amer chem. Soc.81 (1959):1513.
  2. Feldkoren Bl, Andersson S. Interação de esteróides androgênicos-anabólicos com receptor de andrógeno de rato in vivo e in vitro: um estudo comparativo. J Steroid Biochem Mol Biol. 2005 abr;94(5):481 ·7. Epub 200S 17 de março.
  3. Ellis AJ, Cawston TE, Mackie EJ. Os efeitos diferenciais do estanozolol na pele humana e fibroblastos sinoviais in vitro: síntese de DNA e ligação ao receptor. Ações do Agente. 1994 mar;41 (1 2):37 43.
  4. Boada LD, Fernandez L, et al. Identificação de um sítio de ligação específico para o esteroide anabolizante estanozolol em microssomas hepáticos masculinos. J Pharmacol Exp Ther 1996 Dez;279(3):1123·9.
  5. Fernandez L, Chirino R, Boada LD, Navarro D, Cabrera N, del Rio I, Diaz Chico BN. O estanozolol e o danazol, ao contrário dos andrógenos naturais, interagem com os sítios de ligação de glicocorticoides de baixa afinidade dos microssomos hepáticos de ratos machos. Endocrinologia. 1994 Mar;l 34(3):1401
  6. S Kohler. Resposta da globulina de ligação ao hormônio sexual ao esteróide anabolizante estanozolol: evidências de sua adequação como teste de sensibilidade biológica aos andrógenos. G Sinnecker, Journal of Clin Endo Metab. 68:119S, 1989.
  7. Ivone Martins Ferreira. A influência de 6 meses de esteróides anabolizantes orais na massa corporal e músculos respiratórios em pacientes com DPOC desnutridos, leda Verreschi et al. CAIXA 114 (1) Julho 1998 19/28.
  8. Stimac D, Milic S, Dintinjana RD, Kovac D, Ristic S. Hepatite tóxica induzida por esteroides androgênicos/anabólicos. J Clin Gastroenterol. 2002 Out;3S(4):350 2.
  9. Thompson PD, Cullinane EM, Sady SP, Chenevert C, Saritelli AL, Sady MA, Herbert PN. Efeitos contrastantes da testosterona e estanozolol nos níveis séricos de lipoproteínas. CAVIDADE. 1989 24 de fevereiro;261(8):1165·8.
  10. Small M, McArdle BM, Lowe GD, Forbes CD, Prentice CR. O efeito do stanozolol intramuscular na fibrinólise e lipídios no sangue. Tromb Res. 1982 1º de outubro;28(1):27·36.
  11. Small M, Beastall GH, Semple CG, Cowan RA, Forbes CD. Alteração dos níveis hormonais em homens normais recebendo o esteroide anabolizante stanozolol. Clin Endocrinol (Oxf). 1984 jul;21(1):49·55.
  12. Ghiacci G, Lumetti S, Manfredi E, Mori D, Macaluso GM, Sala R. Stanozolol promove a expressão gênica osteogênica e aposição de mineral ósseo in vitro. J Appl Oral Sci. 2018;27:e20180014.
  13. Carson P, Hong CJ, Otero-Vinas M, Arsenault EF, Falanga V. Enzimas hepáticas e níveis lipídicos em pacientes com lipodermatoesclerose e úlceras venosas tratados com um esteroide anabolizante prototípico (estanozolol): estudo prospectivo, randomizado, duplo-cego, placebo- ensaio controlado. Int J Low Extrem Ferimentos. 2015;14(1):11-8.
  14. Li C, Adhikari BK, Gao L, Zhang S, Liu Q, Wang Y, et al. O abuso de drogas para melhorar o desempenho causou cardiomiopatia e lesão hepática aguda em um jovem fisiculturista. Am J Mens Health. 2018;12(5):1700-4.
  15. Tabatabaee SM, Elahi R, Savaj S. Nefropatia causada por icterícia colestática após o uso de stanozolol em 2 fisiculturistas amadores. Irã J Kidney Dis. 2015;9(4):331-4.
  16. Barros TS, Santos MB, Shinozaki EB, Santos JF, Marchini L. Efeitos do uso de esteróides anabolizantes no sistema mastigatório: um estudo piloto. J Oral Sci. 2008;50(1):19-24.
  17. Belch JJ, Madhok R, McArdle B, McLaughlin K, Kluft C, Forbes CD, et al. O efeito de aumentar a fibrinólise em pacientes com artrite reumatóide: um estudo duplo-cego de stanozolol. QJ Med. 1986;58(225):19-27.
  18. Castro Martins M, Peffers MJ, Lee K, Rubio-Martinez LM. Efeitos do estanozolol em condrócitos eqüinos normais e estimulados por IL-1beta in vitro. BMC Vet Res. 2018;14(1):103.
  19. Spadari A, Romagnoli N, Predieri PG, Borghetti P, Cantoni AM, Corradi A. Efeitos do tratamento intra-articular com stanozolol na membrana sinovial e na cartilagem em um modelo ovino de osteoartrite. Res Vet Sci. 2013;94(3):379-87.
  20. Kicman AT. Farmacologia dos esteroides anabolizantes. Br J Pharmacol. 1542008. p. 502-21

 

Informação adicional

Peso0,100 kg
Dimensões8 × 8 × 8 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Estanozolol – King Pharma (50mg/ml – 30ml)”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *